Você sabe o que é um vinho frutado?

Por Léo Prado 4 Min Read

Frutas frescas, geleia, compota. Vinhos são ricos em sabores frutados e com frequência é fácil reconhecê-los. De fato, alguns rótulos têm aromas discretos e que apenas os olfatos mais trenados são capazes de identificar, mas, na maioria das vezes, os perfumes de frutas quase “saltam” da taça.

É, neste caso, que falamos em vinhos frutados. Os aromas são muitos, mas nos tintos é comum encontrar notas de amora, cassis, cereja, morango e ameixa, entre outros, claro; já nos brancos, se destacam pêssego, maçã, pera, limão, melão, maracujá e abacaxi, só para citar os mais habituais.

Os aromas frutados são chamados também de primários, pois derivam da fruta. Cada uva tem características aromáticas que a diferencia das outras. Quando o vinho passa por amadurecimento em barris de madeira ganha os chamados aromas secundários, como baunilha, tostado, café ou especiarias, entre outros.

Os vinhos de guarda – isto é, os que podem envelhecer por muitos anos, até décadas – desenvolvem aromas terciários, que podem ser fermento de pão, brioche, frutas secas e caramelo, só para mencionar os mais usuais.

Os aromas frutados costumam estar mais presentes em vinhos jovens e prontos para beber e produzidos em regiões quentes, onde as uvas amadurecem bem, potencializando os perfumes. Isso ocorre em boa parte da Argentina, Chile, sul da Itália, Espanha e Portugal, por exemplo, onde é comum encontrar vinhos com aromas de frutas bem expressivos.

Sem dúvida, o fator mais decisivo é a uva. Algumas castas são mais aromáticas que outras, por natureza. Chardonnay e Pinot Grigio, por exemplo, são cepas brancas que dão vinhos de aromas sutis, ao contrário de Alvarinho, Gewürztraminer, Riesling, Sauvignon Blanc, Torrontés, Viognier e Moscato, que originam bebidas bem perfumadas.

Entre as tintas, Gamay e Sangiovese não costumam ter muita expressividade aromática. Se você gosta de vinhos mais frutados, aposte em Malbec, Touriga Nacional, Syrah, Barbera, Grenache, entre outras.

Está em busca de vinhos frutados? Veja rótulos que não podem faltar na sua adega.

Norton Select Malbec

Produzido pela renomada vinícola Norton, em Mendoza, na Argentina, este tinto tem aromas que lembram ameixas e figos. Em boca, é elegante, apresenta bom corpo e taninos macios. Acompanha lasanhas, massas com molhos à base de carnes e carnes vermelhas assadas.

Marquês de Borba Colheita Tinto

Produzido nos melhores terroirs do Alentejo, no Sul de Portugal, pelo renomado enólogo João Portugal Ramos, este vinho tinto apresenta aromas de frutas, amoras e cassis. Em boca, destaca-se o equilíbrio entre fruta, acidez e taninos. Amadurece por 6 meses em meias pipas de carvalho americano de segundo e terceiro usos. Combina com carnes vermelhas grelhadas, massas com molhos intensos e queijos.

Sexy Fish Blanc de Blancs

A premiada vinícola argentina Norton assina este branco perfumado, com aromas cítricos e notas de peras e pêssegos. Em boca, este corte de Chardonnay e Torrontés é suculento, com deliciosos sabores cítricos e grande frescor. Perfeito com aperitivos, saladas, queijos e pratos à base de peixes e frutos do mar.

Alvarinho DOC

Branco elaborado pelo renomado enólogo João Portugal Ramos no norte de Portugal. No nariz, tem aromas intensos, cítrico e floral com notas de frutos tropicais. No paladar é elegante e envolvente, apresenta boa acidez e termina com notas minerais num longo final de boca. Acompanha queijos brancos, peixes, bacalhau e frutos do mar.

OH01 Gewürztraminer Meio Doce

Vinho alemão branco de contrastes, com uma acidez suave e sabores intensos. No nariz tem aromas frutados, de rosas e baunilha. Em boca, destaca-se noz-moscada. Perfeito para acompanhar queijo brie e camembert.

Compartilhe esse Artigo
Deixe um Comentário