Chardonnay X Sauvignon Blanc: quais as diferenças entre os dois vinhos?

Por Léo Prado 7 Min Read

Não precisa ser um especialista em vinhos para ter experimentado, pelo menos uma vez na vida, um Chardonnay ou um Sauvignon Blanc. Produzidos em muitos países do Velho e Novo Mundo, estes dois vinhos brancos estão entre os mais populares e apreciados pelos consumidores.

O que explica o sucesso não é só a facilidade de cultivo destas duas uvas, mas também a grande variedade de estilos de vinhos que elas proporcionam e que, obviamente, dependem do terroir e do processo de vinificação, escolha esta que cabe a cada produtor.

Embora, no mundo do vinho seja complicado generalizar, é possível apontar muitas diferenças entre Chardonnay e Sauvignon Blanc. Em comum, elas têm a origem francesa e o fato de serem as uvas brancas mais plantadas no mundo, sendo que a Chardonnay tem quase o dobro de área cultivada, segundo o prestigiado guia Wine Folly.

Locais de produção

O Vale do Loire, no Norte da França, é a região mais icônica pela produção da Sauvignon Blanc. Famosa pelos castelos, esta área que se estende ao longo do rio Loire oferece uma grande variedade de terroirs, que dão vida a grandes vinhos brancos, tintos, espumantes e rótulos de sobremesa.

Já a Chardonnay é ligada de maneira inextricável à Borgonha, região no leste do país que dispensa apresentações. Dependendo do local de produção, os domaines elaboram vinhos bem diferentes entre si: dos Chablis sem passagem por madeira e que apresentam notas frutadas de maçã golden, maracujá e frutas cítricas, aos Chardonnays da Côte D’Or, com seus aromas amadeirados, baunilha e avelã.

A Chardonnay pode ser encontrada ainda na França, Estados Unidos, Austrália e Itália. Belos exemplares são produzidos também na Argentina e Chile. Em Mendoza, do lado argentino da Cordilheira dos Andes, a Chardonnay ganha aromas de abacaxi e maçã golden.

Já do lado chileno, a brisa marítima e a neblina proveniente do Oceano Pacífico propiciam um clima fresco que é perfeito para dar vida a rótulos com bastante acidez. Independentemente do local de produção, o Chardonnay é um vinho de grande elegância.

Fora da França, a Sauvignon Blanc é muito cultivada também na Nova Zelândia, África do Sul e Chile. A boa notícia é que nosso vizinho elabora grandes rótulos com esta uva, o que explica a grande facilidade com a qual são encontrados no mercado brasileiro.

Chardonnay X Sauvignon Blanc: características

Estas duas uvas costumam originar vinhos bastantes diferentes. O Sauvignon Blanc é geralmente um vinho de corpo leve (ou seja, sem muita densidade em boca), enquanto o Chardonnay é mais comum que seja encontrado com bastante corpo e untuosidade na boca, características que derivam da passagem por barrica ou do contato prolongado com as leveduras.

A Chardonnay se presta bem ao amadurecimento sur lie (método em que a bebida fica por longo tempo em contato com as leveduras no tanque ou na barrica) e à battonage, técnica em que as leveduras mortas da fermentação, que se depositaram no fundo da barrica, são revoltas com uma vara para que incorporem suas características ao vinho. Estes dois processos conferem notas de pão, brioche e manteiga ao vinho.

Já a Sauvignon Blanc é uma uva muito frutada. Os aromas são muito ricos e vão de melão verde à maracujá, passando por toranja, pêssego, limão e até aspargo e pimentão verde, estes dois últimos típicos dos Sauvignon Blanc chilenos. Ela tem também mais acidez que a Chardonnay, o que entrega ainda mais frescor aos rótulos.

Em resumo, Sauvignon Blanc e Chardonnay são duas uvas muito versáteis que todo apreciador de vinho precisa conhecer. Conheça a seguir alguns rótulos e desbrave diversos tipos de brancos elaborados com essas cepas tão icônicas.

Norton reserva Chardonnay

As uvas Chardonnay deste vinho branco se originam no Vale do Uco, em Mendoza, na Argentina. Apresenta grande intensidade aromática, com destaque para frutas tropicais, e notas amanteigadas, de pão torrado e de fermento. Em boca, é sedoso e equilibrado. Amadurece por 6 meses em barricas de carvalho e acompanha massas com molhos leves, pratos à base de peixes e frutos do mar, tábua de queijos.

Quinta do Valdoeiro Chardonnay

Da Bairrada, em Portugal, este vinho branco passa por fermentação parcial em madeira de carvalho francês, o que lhe confere maior complexidade. Ele apresenta aromas intensos, com notas exóticas de maracujá e nuances de erva fresca cortada. Em boca, mostra-se fresco, ligeiro e com toques minerais. Vai bem com peixes e frutos do mar com molhos untuosos.

Chablis Coquilage

Vinho muito equilibrado, com final fresco com notas de limão. Aromas de frutas brancas com destacada mineralidade. Estagia entre 8 e 10 meses em contato com as borras (sur lies). É perfeito com queijos de cabra, queijos azuis e queijo Comté.

Château Doisy-Daëne Grand Vin Sec 2019

Vinho que expressa toda a distinção e a elegância do excepcional terroir de Bordeaux. Apresenta aromas intensos de toranja e pêssego branco; em boca aparecem peras e especiarias. A fermentação acontece em barricas e depois o vinho amadurece por 12 meses, também em carvalho. Excelente sem acompanhamentos, mas também harmoniza com peixes e frutos do mar.

Carolina Reserva Sauvignon Blanc

O vinho branco perfeito para acompanhar pratos à base de peixes, especialmente ceviche, este Carolina Reserva possui aromas cítricos, de flores secas e tropicais. No paladar, é equilibrado, de acidez suave e final persistente.

Clos Floridène Branco

O prestigiado enólogo Denis Dubourdieu elabora em Bordeaux (França) este grande branco a partir da uva Sauvignon Blanc. Um rótulo que apresenta intenso aroma frutado que lembra pêssego, limão e toranja, além de notas de couro e minerais. Em boca, é denso e estruturado. Seu potencial de guarda natural é de, no mínimo, 10 anos. Amadurece por 9 meses sur lie (em contato com as leveduras) e é perfeito com frutos do mar, em particular, ostras.

Compartilhe esse Artigo
Deixe um Comentário